Indicadores de Saúde – Quais são seus?

Indicadores de Saúde –
Quais são seus?

Somos seres fantásticos! Nosso corpo é uma engrenagem perfeita! Se uma coisa sai fora do lugar, temos impactos e repercussões que podem até começar sutilmente mas que, se não percebermos logo o “desajuste”, se não estivermos atentos, podem se agravar.
Nosso corpo emite sinais!

Mais que uma engrenagem, nosso corpo é uma verdadeira orquestra sinfônica magnífica! Muitos instrumentos diferentes emitindo seus sons simultaneamente e em perfeita harmonia!

São órgãos, músculos, ossos, água, oxigênio, minerais diversos, vitaminas, energias absorvidas de diversas maneiras que, em conjunto, em sinergia, fazem essa maravilha trabalhar a nosso favor, a favor de nossa saúde!

Mas, nem sempre é assim, correto?

O que acontece quando ficamos doentes? De onde vem a doença? O que é a doença afinal?

Quando falo sobre o nosso corpo, falo do nosso corpo por inteiro! Falo do corpo que inclui o corpo físico, visível, e também do corpo que inclui nossos sentimentos, emoções, pensamentos conscientes e inconscientes, energias sutis, atitudes manifestas e ocultas… Enfim, somos tudo isso junto! Tudo isso junto, somado e misturado, forma nosso corpo! Ou melhor, nossos corpos!

Mas, voltando, de onde vem a doença?

A doença, quando percebida por nós, certamente já havia emitido sinais mais indiretos há tempos.

Quando um acorde destoa da orquestra, aquela “desafinada” pode passar desapercebida mas, quando vários acordes começam a destoar, quanto mais cedo corrigirmos aquela desarmonia, mais rapidamente a harmonia se reestabelecerá!

Assim também acontece com os muitos sinais e sintomas que nosso corpo, nossas emoções e percepções nos enviam antes que a doença propriamente dita se instale!

Nossas crenças errôneas, visões limitantes, sentimentos bloqueados e defesas instaladas desencadeiam uma série de ondas energéticas e de sinais químicos que são enviados a todas as células do nosso corpo!

Nosso corpo, grande maestro, é um reflexo de como está a harmonia da orquestra!

Nosso corpo expressa quais sons estamos emitimos para o mundo e, principalmente, para nós mesmos. Nos conta sobre como está a real comunicação entre o que pensamos, sentimos, dizemos, ocultamos, experienciamos e a verdade da nossa essência.

Enfim, nosso corpo nos informa sobre a harmonia e consciência, ou a falta delas, que manifestamos na vida.

Mas, nosso corpo anseia pela saúde e pelo “bom funcionamento”! Assim, quando algum desacordo entre as informações emitidas é detectado, sinais e sintomas começam a ser sentidos de forma a nos alertar sobre esses desacordos internos.

Neste sentido, os sinais e sintomas das doenças são nossos indicadores de saúde! São nossos sentinelas! São alertas do nosso corpo na tentativa de nos informar que algo não vai bem, que algum desacordo interno foi detectado. Um desacordo que, não fossem nossos amigos sintomas, talvez passasse desapercebido e nós não teríamos a chance de nos conhecermos mais em direção a mais verdade e mais saúde para nós mesmos.

Na minha prática clínica são comuns as queixas de dores de garganta, por exemplo.

Mas quando essas dores são frequentes, melhoram e voltam rapidamente, além da investigação diagnóstica física, procuro trabalhar com meus pacientes as questões de dificuldade de se posicionarem, emitirem suas opiniões e sentimentos, se comunicarem com os outros. Mas, principalmente, os bloqueios que eles próprios se impuseram, pelos mais diversos e individuais motivos a serem trabalhados, de auto expressão no mundo.

É muito dolorido mesmo não expressarmos o que nascemos para ser.

Você está expressando ao mundo sua verdadeira essência?

Vou dar um outro exemplo dos sintomas como indicadores de saúde (enquanto nosso corpo está emitindo sinais significa que ele está querendo viver melhor, com mais qualidade, e por isso é um indicador de saúde sim!).

Em uma situação de “dor nas costas toda hora”, além da investigação diagnóstica por profissional da área, paralelamente, convido a pensar sobre, além das questões mais conhecidas sobre o acúmulo de tarefas e funções, ou a procrastinação das mesmas, qual é a fantasia que está por traz, quais sãos os ganhos que está obtendo (ainda que ganhos distorcidos mas, ainda assim, ganhos) que te condicionam ao comportamento repetitivo de acumular ou procrastinar tarefas?

Ao identificar essas imagens que estavam escondidas e que te “empurravam” para comportamentos destrutivos mas que você não conseguia evitar, “pareciam mais fortes que você”, ganha-se a oportunidade de novas e melhores escolhas para se viver!

E assim sucessivamente podemos acompanhar o que cada um dos sintomas e sinais de saúde que nosso corpo emite está querendo nos dizer, contar sobre nós, sobre o que está faltando em nossa vida para vivermos mais plena e intensamente no aqui e agora!

Desta forma, nesta medicina estrutural e integrativa que proponho, o ser humano é acompanhado em sua totalidade.

Se há o indicador de saúde é porque há saúde, porque nosso corpo tem mecanismos de alerta, porque nosso corpo deseja ser saudável e harmônico entre suas expressões físicas, intelectuais, emocionais e psíquicas!

Quanto mais integração e sintonia entre nossas partes, mais saúde, alegria e prazer na vida estarão a nosso dispor!